Arquivos

#TEAMKARL – STEVEN WILSON

#TEAMKARL – STEVEN WILSON

Conheça os talentos criativos e influenciadores por trás do #TeamKarl. Nesta série, conhecemos os movers e shakers que estão moldando a marca KARL LAGERFELD e a história.

Steven Wilson é um ilustrador que é conhecido por suas obras de arte de cores brilhantes e gráficos de efeito neon. Ele descreve seu trabalho eclético, excêntrico e experimental como “algum lugar entre pop e psicodelia”.

Originalmente do norte de Londres, Steven se apaixonou por Brighton enquanto frequentava um curso de ilustração, e ele se mudou para lá permanentemente. Ele encontra sua inspiração em tudo, desde mercados de pulgas locais até capas de álbuns, YouTube e moda masculina na década de 1920.

Steven trabalhou anteriormente com marcas como MTV, Coca-Cola, Virgin, Selfridges e Sony BMG. Mais recentemente, ele colaborou com KARL LAGERFELD em uma coleção de cápsulas de edição limitada de pronto-a-vestir e acessórios, lançando para a Primavera de 2017.

Como sua experiência está trabalhando com o KARL?

Foi um dos destaques da minha carreira ter meu trabalho associado a KARL LAGERFELD. O que torna mais especial é que é muito uma colaboração. Embora KARL LAGERFELD seja um nome tão grande, a marca está feliz em nomear os artistas com os quais colabora, e acho que isso é uma coisa maravilhosa.

Como a moda está entrelaçada em seu trabalho?

Todas as artes se referem mutuamente e estão entrelaçadas, então eu olho para a moda para ver o que está acontecendo. Da mesma forma que a moda evolui continuamente e se reinventa, espero que meu trabalho também faça isso. É importante manter-se informado de como as coisas estão mudando e evoluindo em todas as indústrias criativas.

Descreva-se em um Karlismo?

Adoro esses dois em relação ao meu trabalho:

“Trabalhar é quando você faz um trabalho que não gosta. No momento que você gosta do seu trabalho, não está funcionando mais. ”

“Eu sou uma espécie de arma contratada, então, se o exército estiver bem, tudo bem, mas se o exército não for tão bom, há pouco que posso fazer”.

Karl não pode viver sem óculos de sol. Qual é o seu dever?

Eu tenho uma série de overshirts de estilo de trabalho com vários bolsos. Eu gosto de ter uma caneta e um papel em mim, o tempo todo, para gravar qualquer coisa que eu considere interessante, então é tão prática quanto qualquer coisa … mas eu gosto de como eles também se veem!

Kalm ou Krazy?

Kalm.

Qual poderia ser o lema de #TeamKarl?

“Se você pode sonhar, mas não fazer sonhos, seu mestre.” – Rudyard Kipling do poema If. Eu gosto de como essa citação se aplica à criatividade e ao design. É preciso uma certa quantidade de sonhos, pensamentos e imaginação, mas isso não vai acontecer sozinho – você também precisa trabalhar duro para realizá-los.

Fonte:

Pre-order the “Art Deco” jewelry collection.

KARL LAGERFELD

O trench coat, eu uso e adoro. E vocês ESTILOSAS, o que acham?

O trench coat de hoje é uma versão aprimorada da capa de chuva desenvolvida em 1879 por Thomas Burberry, criador da peça e da tradicional marca britânica. Se você ainda não conhece sua história, reconto aqui como foi o seu surgimento e ainda indico algumas formas de usá-lo. Em 1914, Thomas recebeu do governo inglês a missão de criar um casaco para os soldados usarem durante a Primeira Guerra. Ele então adicionou ao modelo original alguns recursos funcionais, tais como abas no peito para apoiar armas, martingales nos ombros para carregar o quepe e ajustes nos punhos para vedar o vento. Estes detalhes atenderam as necessidades do exército durante a guerra de trincheiras, nome pelo qual como ficou conhecida a Primeira Guerra Mundial e de onde surgiu o trench coat, que significa casaco das trincheiras. Desenvolvido para os militares, cada detalhe do trench coat evoluiu para servir a um propósito, elevando-o em relação aos trajes da época. As dragonas foram adicionadas para exibir as patentes dos oficiais, a aba sobreposta no peito oferecia maior proteção, enquanto o protetor contra chuva na parte superior das costas garantia que a água não entrasse em contato com o corpo. O interessante é que tais detalhes se mantém presentes até hoje na peça. No coração do trench coat da Burberry está o gabardine. Inventado por Thomas Burberry em 1879, o tecido impermeável revolucionou os casacos. O tecido recebeu tripla proteção contra a água, enquanto os espaços abertos na costura permitiam ventilação. Oferecendo proteção contra os climas mais extremos, o gabardine foi usado pelos primeiros exploradores dos polos e pelos pioneiros da aviação ao redor do globo. Atualmente, a cada temporada o trench ganha novas releituras. Seu tecido original divide espaço com texturas mais modernas, como o couro extrafino.

Burberry-Heritage-Trenchcoat-como-usar

Mais de 100 processos individuais devem ser completados para se confeccionar um trench coat. O mais elaborado deles é a costura à mão do colarinho, exclusiva da Burberry. Levando até um ano para aprender a técnica, o artesão deve fazer mais de 180 pequenas costuras no colarinho para criar uma curva fluida que se posiciona perfeitamente no contorno da gola.

Protegendo o trench coat dos elementos, o cinto é uma das marcas icônicas da peça e completa a sua silhueta exclusiva. O cinto possui quatro linhas de costura para mantê-lo firme e estruturado, enquanto as argolas em D de metal fazem referência a sua tradição e foram originalmente utilizadas para carregar equipamento militar.

Símbolo da marca, cada trench coat é forrado com o xadrez Burberry nas clássicas cores camel, marfim, vermelho e preto. Cuidadosamente confeccionado e cortado, o forro é costurado de forma a assegurar que o xadrez esteja simétrico. Cada linha do design permanece contínua, demonstando a excelência da alfaiataria Burberry no interior e exterior da peça. A partir de 2001, o xadrez utilizado se expandiu também para outras peças de vestuário, acessórios e perfumaria.

como usar trench coat

Como usar o trench coat

como usar trench coatApesar de ser uma peça originalmente masculina, o trench coat pode ser muito feminino. Por ser uma peça extremamente versátil, existem diversas maneiras de usá-lo, podendo que ele faça as vezes de casaco leve, vestido ou blazer.

Atemporal, esta é uma uma peça-chave no guarda-roupa de qualquer mulher e símbolo de elegância. Ideal para o tempo frio que está chegando, pode ser colocado sobre vestidos ou com calças, salto alto ou flats e ser usado fechado ou aberto.

Minha aposta: Trench coat bege clássico usado como vestido, meia calça preta escura e botas acima dos joelhos (as cuissardes, que estão super na moda) para finalizar.

E se você ainda não possui um, é hora de colocá-lo na sua wish list.

Informações: Burberry

Chopard: Das montanhas suíças aos tapetes vermelhos!

Não é sem motivo que a Chopard se tornou uma das grifes preferidas dos artistas de Hollywood. Com mais de 150 anos de história, a marca suíça virou referência quando o assunto em questão são joias, relógios e acessórios de luxo, o que lhe garante os holofotes tão almejados do mundo das celebridades. É por isso que nos dias de hoje, em qualquer premiação artística de alto escalão, Chopard é o que não falta. Oscar e Cannes que o digam!

chopard-chopard-no-oscar

Mas apesar de onipresente, pouca gente conhece a trajetória desta tradicional grife. Tudo começou na região do Vallée de Joux, que nos séculos passados ficava isolada durante os rigorosos meses de inverno. Os fazendeiros, então, impossibilitados de fazer os trabalhos rurais, dedicavam-se à relojoaria. Um dos moradores desta região era Louis Ulysse Chopard, que com apenas 24 anos de idade, em 1860, iniciou o seu próprio negócio.

chopard-Louis-Ulysse-Chopard

No começo, a relojoaria do jovem Chopard tinha a intenção de produzir apenas cronógrafos. Porém, com o passar do tempo, as oficinas L.U.C. (iniciais do dono da rede) começaram a se destacar pela precisão dos seus exemplares. Os pequenos relojoeiros encontravam dificuldades para acompanhar o desenvolvimento, e foi nesta brecha que a Chopard se instalou.

 A expansão

Com os negócios indo a todo vapor, a rede mudou sua sede para Genebra, em 1920. O passo foi dado pois a cidade se solidificava cada vez mais como a capital mundial da relojoaria, facilitando os contatos internacionais e as vendas. A crescente continuou mesmo no período entre as duas guerras mundiais, que para a maioria dos negócios atuou como um verdadeiro algoz. Nesta época, os negócios já eram encabeçados pelo filho de Chopard, e a marca já empregava 150 pessoas.

chopard-geral

Em 1963, Paul-André Chopard, neto do fundador, tomou uma decisão fundamental para a história da marca. Vendo que seus filhos não tinham interesse em assumir a grife, uma nova estratégia precisava ser tomada. Foi então que Karl Scheufele, tradicional relojoaria alemã, assumiu o controle da empresa. O boomdesta união faz com que a Chopard, enfim, virasse referência no mercado de luxo.

chopard-Família-Scheufele

Em1998, a Chopard dá um grande passo e fecha um acordo com o Festival de Cannes para produzir anualmente a Palma de Ouro da premiação. Caroline Gruosi-Scheufele, co-presidente e diretora artística da Chopard, foi quem encarou o desafio de renovar artesanalmente a peça na ocasião. Dando prosseguimento à parceria firmada com Cannes, em 2008 a grife lança uma coleção chamada “Red Carpet”, inspirada no Festival e composta por 61 peças de elegância e luxuosidade únicas. Depois de conhecer um pouquinho mais sobre a marca suíça, dá para entender por que Chopard está para os tapetes vermelhos assim como as celebridades estão para os holofotes, não é mesmo?

 

%d blogueiros gostam disto: