Safiras Orientais.

11224221_972232079464336_495450810581023900_n

safira

A palavra safira vem do grego “sapphirus”, que significa azul. Realmente a cor azul (principalmente azul-violeta) no que diz respeito à safira, é a gema mais valorizada e procurada no mundo joalheiro. Mas a safira tem uma gama bastante variada de cores. Podemos destacar, por exemplo: a safira incolor, safira amarela, safira laranja, safira rosa, safira verde, safira violeta, safira marrom, dentre outras. As cores destas pedras devem-se à presença de cobalto, cromo, titânio e ferro na sua composição. O termo safira sem o adjetivo refere-se sempre ao coríndon azul. A safira é uma das gemas mais conhecidas, valiosas e admiradas há séculos. Essa gema era muito usada pelos etruscos, já há 2.500 anos e também apreciada na Roma Antiga, Grécia e Egito.

Características da Safira

A safira é uma variedade da família coríndon (óxido de alumínio), com uma dureza 9 na Escala de Mohs, sendo bastante resistente ao risco ou à abrasão, ficando atrás somente do diamante. Somente no final do século XVIII, descobriu-se que a safira e o rubi pertencem ao mesmo grupo mineral. Somente o coríndon vermelho não é considerado safira mas sim, o rubi. Seu sistema de cristal é hexagonal (trigonal). É encontrada em rochas metamórficas ou ígneas, bem como em depósitos aluviais. As regiões onde são encontradas essas gemas são: Índia, Sri Lanka, Camboja, Tailândia, Madagascar, Tanzânia, Paquistão, Afeganistão, África Oriental e Austrália. Nos EUA belas safiras foram encontradas em Yogo Gulch, Montana. As safiras (ex: Safira Estrela) podem exibir um fenômeno óptico muito interessante e conhecido como asterismo – estrela de 6 pontas e, mais raramente, de 12 pontas. Como nas outras gemas de cor, a avaliação dessa gema se baseia na saturação e intensidade de cor, transparência, lapidação e no tamanho.

A Safira na Relojoaria

A joalheria brasileira HStern criou na década de 80 o relógio HStern Safira. Trata-se do único relógio cuja caixa é inteiramente cortada e facetada à mão de um único bloco de safira sintética (desenvolvida em laboratório). Possui as mesmas propriedades físicas e químicas, estrutura cristalina, dureza e cor de uma safira natural. Esse mineral sintético nobre e valioso, cuja transparência é maior do que a pedra natural (sem inclusões), possibilita a sua utilização na fabricação de relógios. Apenas um diamante ou outra safira podem arranhá-lo. O tempo para lapidar uma caixa do relógio HStern Safira varia de seis horas a quatro dias, dependendo do tamanho do relógio. Esse relógio artesanal criado com alta tecnologia, possui movimento suíço ETA a quartzo ultraplano. Resistente à água até 60 metros, coroa de ouro 18K com dupla vedação e garantia de dois anos. Os materiais usados nas pulseiras do relógio HStern Safira variam de couro de iguana, aço, aço com titânio e ouro maciço e são vendidos na própria joalheria. Para mais informações sobre este produto, acesse o site da HStern.

Curiosidades.

Acreditava-se que a safira mantinha reis e rainhas a salvo de injúrias ou inveja e até hoje essa gema é muito referenciada pelos nobres. A safira é considerada a pedra da contemplação; relaxa a mente e fortalece a vontade de quem a usa. Diz-se também que a safira, supostamente, protegia a pessoa de fraude, pobreza, mau humor e desonestidade. A tanzanita, a iolita e a turmalina azul são as gemas que podem se assemelhar à safira. Existe uma lenda que diz que a safira atraíra filhos homens.

Deixe uma resposta