Escola de strippers é fechada por causa dos gritos femininos.

//s7.addthis.com/static/lang/pt.js

Imagem da Matéria

Uma escola de formação de strippers que funcionava em uma mansão de US$ 2 milhões (cerca de R$ 6,1 milhões) em Lutz, no Estado da Flórida (EUA), foi fechada por decisão judicial, após uma notificação de vizinhos à polícia por excesso de barulho.

A polícia fez uma medição da poluição sonora e, em três oportunidades diferentes, gravou as pessoas que chegavam para aprender como despir-se em shows e como eram os gritos que aborreciam a vizinhança endinheirada.

O juiz acolheu a tese de “mau uso da propriedade”.

O dono da mansão e o gerente da escola foram acusados de violar o código local sobre ruídos.

A mansão pertence a uma empresa cujo titular é o milionário canadense Gordon Lownds. Na segunda-feira, ele confirmou que cessou toda a atividade comercial na casa de mais de mil metros quadrados, fechando a escola de formação de strippers.

Espaço Vital.

Deixe uma resposta