Alejo Carpentier.

Alejo Carpentier

Alejo Carpentier Valmont (Havana, Cuba, 26 de dezembro de 1.904 – Paris, 25 de abril de 1.980). Escritor cubano. Filho de um arquiteto francês e uma professora russa, começou a estudar arquitetura em 1.921, deixando dois anos mais tarde, indo trabalhar como jornalista na revista Hispania, social e cartazes, também destacando-se como um musicólogo. Em 1.924 ele foi nomeado editor da revista Sinais. Encarcerado em 1.927 por suas atividades políticas opostas ao ditador Machado em 1.928 deixou Cuba para se estabelecer em Paris. Lá ele foi envolvido em atividades relacionadas à música, como correspondente para várias revistas culturais cubanas. Entra em contato com a vanguarda, especialmente o surrealismo e colabora na revista Révolution Surréaliste de André Breton. Em 1.933  publicou seu primeiro romance em Madrid ECUE-Yamba-O, embora marcando sua maturidade literária é o reino deste mundo. Na Espanha fez amizade com os poetas da Geração de 27,  Pedro Salinas, Rafael Alberti e Federico García Lorca. Em 1.937,  participa do II Congresso para a Defesa da Cultura e após dois anos na Europa volta a Cuba. Continua seu trabalho jornalístico em rádio e em revistas como Times New e Origens. Entre 1.945 e 1.959 vive na Venezuela, para voltar a se estabelecer em Cuba após a vitória de Fidel Castro. Exerce as funções de  Editor e Vice-Presidente Nacional do Conselho Nacional da Cultura, e é também conselheiro cultural na Embaixada de Cuba em várias capitais da América Latina e Europa Oriental. Seus últimos anos foram passados ​​na França como um diplomata na embaixada em Paris.

Principais obras:O reino deste mundo, 1.949; A guerra do tempo, 1.958; O século das luzes, 1.962; O recurso do método, 1.974; A harpa e a sombra, 1.979.

Deixe uma resposta