Arquivo | abril 2015

Óleo de maconha cura câncer de intestino de homem com expectativa de vida de apenas 18 meses

David Hibbitt, de 33 anos, foi diagnosticado com a doença em julho de 2012 e submetido a quimioterapia, radioterapia e cirurgia para remover seu intestino grosso. Os médicos disseram que o câncer era terminal, então ele decidiu testar o óleo de maconha como um último recurso. Agora, após exames realizados em janeiro, ele diz ter sido milagrosamente curado, creditando o feito à droga.

“Amigos haviam me falado sobre óleo de maconha e eu refutei a hipótese. Eu nunca fui favorável às drogas. Mas, em fevereiro do ano passado foi-me dito que eu tinha apenas de 18 meses a cinco anos de vida e eu senti que eu tinha que tentar de tudo. Eu senti que a quimioterapia estava me matando e eu não tinha nada a perder”, disse Hibbitt, de Staffordshire, Inglaterra.

Depois de pesquisar suas opções na internet, ele descobriu muitas informações sobre o óleo da droga e decidiu tentar. “Eu pago cerca de 240 reais em uma grama de um cara que eu conheci. Isso me dura cerca de um mês, normalmente. A droga entorpece um pouco e às vezes bate bem forte, mas bem longe de ser tão ruim como a quimioterapia. Eu só quero fazer outras pessoas conscientes de que existem outras opções”, relatou.

Hibbitt foi diagnosticado com câncer de intestino depois de, inicialmente, descobrir que ele estava sofrendo de hemorroidas. Depois de passar por tratamento no Hospital Christie, em Manchester, o câncer voltou e ele tinha uma outra operação em julho de 2013, seguida por mais quimioterapia. Um mês depois, ele encontrou um caroço, e foi dito que o câncer estava nos gânglios linfáticos em sua virilha. Após chegar a esse extremo e sua doença ser dada como incurável, ele resolveu utilizar o óleo.

Em outubro, ele teve uma operação para remover os linfonodos afetados no Hospital Universitário Real Stoke. Mas ele escolheu continuar tomando o óleo de Cannabis sativa, em vez de ter mais tratamento, indo contra as novas sessões de quimioterapia. Após uma varredura em janeiro, seu câncer havia sido totalmente curado.

Eu me sinto muito bem e espero que minha história ajude outras pessoas”,finalizou Hibbitt.

O Cancer Research UK diz que está ciente de pacientes que realizam o uso de extratos de maconha para tratar a si mesmos, mas salientou “não há boa evidência” para provar que seja seguro e eficaz. O centro de pesquisa apoia ensaios clínicos sobre a utilização do fármaco e um canabinoide sintético para tratar a doença.

Kat Arney, do Cancer Research UK, disse, em um comunicado:

“Nós sabemos que os canabinoides – as substâncias químicas ativas encontrados na maconha – podem ter uma série de efeitos diferentes sobre as células cancerígenas cultivadas em laboratório e os tumores de origem animal. Mas, no momento, não há boas evidências de ensaios clínicos para provar que eles podem, com segurança e eficácia, assegurar o tratamento do câncer em pacientes. Apesar disso, alguns pacientes com câncer optam por se tratar com extratos de maconha.

Os pesquisadores estão coletando experiências de pacientes para saber se esses tratamentos estão ajudando ou não, ainda que esta seja uma prova de fraqueza em relação aos ensaios clínicos adequadamente geridos.

A Cancer Research UK apoia os ensaios clínicos para o tratamento de câncer com drogas à base de canabinoides, a fim de coletar dados sólidos sobre os benefício às pessoas com câncer.”

Precoce: Adolescente de apenas 13 anos deu à luz a trigêmeos em Fortaleza

Em entrevista à TV Jangadeiro, afiliada da TV Bandeirantes, a mãe da adolescente comentou que ficou chocada ao saber que sua filha de apenas 13 anos estava grávida, mas feliz por considerar o ocorrido uma grande alegria.  A família jamais imaginou que, em vez de um bebê, seriam três!

A adolescente, que não teve o nome divulgado para preservar sua imagem, afirma: “Agradeço muito a Deus este presente. Três crianças é uma grande responsabilidade. Eu sinto muita falta delas, queria ficar perto. Deixei de estudar, mas quando elas estiverem na idade de ir à escola, vou voltar a estudar também”.

A mãe comenta que a filha nunca havia feito uma ultrassonagrafia, e no momento do parto, todos ficaram chocados, quando foi constatado a existência de três bebês.

Os recém-nascidos estão no hospital em processo de recuperação, já que nasceram prematuros.

A família, por ser muito humilde, pede que moradores e pessoas próximas ajude-os de alguma forma, já que não possuem condições financeiras mínimas para cuidar das três crianças quando saírem do hospital.

O pai chama-se Leandro e tem 27 anos.

Descoberta! Composto encontrado no brócolis pode ajudar no combate ao câncer

Os cientistas estão desenvolvendo um novo tratamento conhecido como “quimioprevenção verde”, no qual o brócolis e outros vegetais são usados ​​para prevenir a doença.

Eles explicaram que os vegetais crucíferos, como brócolis, couve e agrião, possuem uma alta concentração de sulforafano, o que garante um sabor ligeiramente amargo. Estudos anteriores, incluindo testes em grande escala na China, têm mostrado que o sulforafano ajuda a ‘desfazer’ os efeitos de agentes causadores de câncer no organismo.

Agora, os testes de laboratório têm mostrado que o brócolis pode ajudar no controle do câncer de boca. Os cientistas americanos planejam realizar ensaios clínicos em pacientes com alto risco de terem um retorno do câncer de cabeça e pescoço.

Julie Bauman, da Universidade de Pittsburgh, disse: “As pessoas que são curadas de câncer de cabeça e pescoço ainda estão em risco muito elevado por um segundo tipo de câncer na sua boca ou garganta, e, infelizmente, esses cânceres secundários são, na maioria das vezes, fatais. Então, nós estamos desenvolvendo uma molécula segura, natural, encontrada em vegetais crucíferos, para proteger o revestimento bucal onde se formam esses tipos de câncer”.

Com o estudo no laboratório, de vários meses, os cientistas descobriram que o extrato reduziu significativamente a incidência e o número de tumores em roedores. “O benefício claro de sulforafano na prevenção do câncer oral em camundongos, aumenta as esperanças de que este composto também possa agir para prevenir o câncer de boca em seres humanos que enfrentam a exposição crônica aos poluentes do meio ambiente e substâncias cancerígenas”, disse Daniel Johnson, da Universidade de Pittsburgh School of Medicine.

A pesquisa envolveu também dar suco de frutas a 10 voluntários saudáveis, ​​misturado com extrato de brócolis rico em sulforafano. Os voluntários não tiveram maus efeitos a partir do extrato e os cientistas descobriram que ele causou alterações na mucosa da boca, que os protegiam contra o câncer. Isto significou que o sulforafano foi absorvido e direcionado para o tecido em situação de risco.

Esses achados foram o suficiente para motivar um ensaio clínico que irá recrutar 40 voluntários que foram previamente tratados de câncer de cabeça e pescoço. Dependendo dos resultados, os ensaios clínicos em larga escala podem ser realizados.

Nós chamamos isso de ‘quimioprevenção verde’, em que os preparativos de sementes simples ou extratos de plantas são usados ​​para prevenir a doença. Isso requer menos dinheiro e menos recursos do que um estudo farmacêutico tradicional e poderia ser mais facilmente disseminado nos países em desenvolvimento, onde o câncer de cabeça e pescoço são um problema significativo“, acrescentou Bauman.

Estudos anteriores já ligaram o sulforafano à prevenção do câncer de mama. A substância também pode ajudar a reduzir o risco de ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral, aumentando o sistema de defesa do corpo, mantendo as artérias desobstruídas. Uma pesquisa anterior também revelou que o sulforafano pode servir como tratamento para o autismo, asma, e doença de Alzheimer.

Polêmica! Depressão não é causada por baixos níveis de serotonina e a maioria dos antidepressivos não funcionam, afirma psiquiatra.

Um professor líder de psiquiatria, afirmou que a crença de que antidepressivos mais populares elevam os níveis de serotonina no cérebro é falsa.

David Healy, diretor da unidade psiquiátrica Hergest, em Bangor, norte do País de Gales, disse que a ideia errada de que os baixos níveis de serotonina sejam os responsáveis ​​pela depressão tornou-se um fato estabelecido. Ele sugeriu que o sucesso das chamadas drogas SSRI – que incluem Prozac e Seroxat – se baseia no “marketing de um mito”.

O surgimento das drogas inibidoras (ISRS) de serotonina, no final de 1980, veio após preocupações sobre tranquilizantes usados para tratar a depressão. Mesmo que eles fossem mais fracos do que os antidepressivos tricíclicos de estilo antigo, foram substituídos por conta da ideia de que os níveis de serotonina seriam restaurados ao normal. “Essa é uma noção que depois foi transmutada na ideia de que eles haviam sanado um desequilíbrio químico”, disse Healy.

Em um editorial do BMJ, Healy disse que na década de 1990, ninguém sabia se as ISRSs aumentavam ou reduziam os níveis de serotonina, e não havia nenhuma evidência de que o tratamento houvesse corrigido algo. “Para os médicos, foi encurtada a comunicação com os pacientes. Para os pacientes, a ideia de corrigir uma anomalia tem uma força moral que pode ser esperada para superar os medos que alguns possam ter de tomar um calmante, especialmente quando convencido que o sofrimento não é uma fraqueza”,revelou.

No entanto, outros psiquiatras refutaram as alegações do professor, dizendo que houve uma descrição simplista do professor sobre as pílulas corrigirem um desequilíbrio químico. Eles alertaram que a controvérsia pode prejudicar os pacientes deprimidos se eles foram impedidos de tomar os medicamentos, algo provado em ensaios e no cotidiano.

O professor Simon Wessely, presidente do Royal College of Psychiatrists, disse: “é fato que os antidepressivos são úteis para a depressão, em conjunto com tratamentos psicológicos. Como se faz isso, não é um fato. O mais importante de tudo, é que os ISRS são mais seguros quando tomados em doses maiores que os tricíclicos mais antigos. As pessoas não devem mudar a medicação atual com base neste editorial isolado”.

O NHS Choices, website que aconselha os pacientes, diz: “Seria muito simplista dizer que a depressão e condições relacionadas de saúde mental sejam causados ​​por baixos níveis de serotonina, mas um aumento nos níveis de serotonina pode melhorar os sintomas”.

Professor Healy faz um argumento forte, mas mal apoiado contra algo que não faz sentido e nunca existiu: a ideia de um ISRS “corrigir” um “desequilíbrio” de serotonina no cérebro. Os investigadores e psiquiatras sabem que os ISRS são eficazes em uma série de transtornos, mas ninguém tem certeza exatamente como eles funcionam. Seu efeito facilmente demonstrável é sobre a serotonina, mas eles têm muitos efeitos secundários indiretos no cérebro.”, disse David Taylor, Diretor da Pharmacy and Pathology and Head of Pharmaceutical Sciences Clinical Academic Group.

No mundo real da clínica, os ISRS são inegavelmente eficazes no tratamento de indivíduos com depressão em níveis maiores. Eles se tornaram o tratamento principal, porque eles têm menos efeitos colaterais do que seus antecessores e são mais seguros em altas doses. David Healy já havia afirmado que ISRSs causam dependência ou provocam suicídio. Ao dizer isso, ele arriscou dissuadir os indivíduos com depressão grave de obterem a ajuda que necessitam, e este último artigo apenas contribui para este problema. O risco de suicídio de depressão não tratado é muito maior do que o risco de tratamento com antidepressivos, e sim, este inclui ISRS”,respondeu Paul Keedwell, psiquiatra e especialista em transtornos do humor.

Joelison Fernandes da Silva, de 28 anos, é o homem mais alto do Brasil.

Homem mais alto do Brasil, com 2,26 m, encontra o amor em uma mulher 1 metro menor que ele

TER, 28 DE ABRIL DE 2015 14:46BRUNO RIZZATOACESSOS: 1428

Joelison Fernandes da Silva, de 28 anos, é o homem mais alto do Brasil.

Conhecido como “gigante gentil”, ele desenvolveu o gigantismo quando criança e passou metade de sua vida envergonhado de sua condição. Porém, hoje ele se sente bem com sua condição e conseguiu encontrar o amor.

Quando ele era bebezinho, eu já achava alguma coisa diferente em seus pés. Já eram maiores”, relatou sua mãe, Ivanilda.

Apesar de sua estatura imponente, ele sempre foi intimidado na escola, até a adolescência, e teve de abandonar os estudos. As crianças não “perdoavam” o fato dele ser o mais alto e faziam muitas “brincadeiras desagradáveis”. Após esse período, ele tornou-se quase um recluso da sociedade, principalmente pelo fato dos olhares das pessoas. “Eu me sentia diferente. Eu via que era fora do normal”, diz ele.

No entanto, aos 21 anos, Joelison passou por uma cirurgia para retirar um tumor benigno em sua glândula pituitária (hipófise), o que controlou seu crescimento e deu-lhe mais autoconfiança.

Ele acabou se tornando uma celebridade na Paraíba, onde reside, e começou a atrair admiradores, inclusive Evem Medeiros, de 21 anos, por quem ele acabou se apaixonando. E o sentimento foi recíproco.

“O dia em que a vi eu acho que foi amor à primeira vista”, disse Joelison.  Embora ela seja quase um metro menor do que seu parceiro, eles dizem que o tamanho não é obstáculo para o relacionamento.

Talvez o choque tenha sido maior para o pai de Evem, que ao ver o rapaz pela primeira vez, ficou surpreso. “Meu pai me disse: ‘filha, eu te disse para conseguir um homem, um grande homem. Você exagerou’”, relatou Evem.

Apenas um ano depois eles se casaram e agora estão tentando ter um filho. A informação fez com que perguntas mais indiscretas de cunho sexual fossem feitas, mas Joelison levou tudo na esportiva e respondeu de forma bem humorada: “O tamanho dos pés é propaganda enganosa”.

Brinquedo sexual de couro do século 18 é descoberto por arqueólogos em banheiro antigo na Polônia

Um brinquedo sexual de 250 anos de idade foi encontrado por arqueólogos durante uma escavação de um banheiro antigo, na Polônia.

Feito de couro, com 20 cm de comprimento, e o topo de madeira, o objeto que imita um órgão sexual masculino estava soterrado em uma antiga escola de esgrima na cidade costeira de Gdansk.

Um porta-voz do Escritório Regional para a Proteção de Monumentos, em Gdansk, disse: “Ele foi encontrado na latrina e remonta à segunda metade do século 18. É bastante espesso e grande, feito de couro e preenchido com cerdas, e tem uma ponta de madeira, preservado em excelente condição. Ele provavelmente foi abandonado por alguém no banheiro. Se isso foi por acidente ou de propósito, ninguém sabe”.

Mais cedo, os arqueólogos haviam descoberto no local espadas antigas, levando-os a suspeitar de que o lugar já havia sido uma escola de esgrima. O artefato foi levado para o trabalho de preservação.

Brinquedos sexuais tem sido encontrados em abundância, ao longo da história, com artefatos do Paleolítico Superior descobertos anteriormente, provavelmente utilizados para o prazer sexual. Por milhares de anos, os objetos fálicos foram usados ​​simbolicamente como um meio para aumentar a fertilidade e afastar os maus espíritos, mas a sua utilização como auxiliares sexuais também tem uma longa história.

Um objeto de 28 mil anos foi encontrado, recentemente, na Alemanha, citado como sendo o mais antigo ‘brinquedo sexual’ já encontrado. Objetos feitos de pedra, madeira, couro e até mesmo esterco de camelo foram encontrados durante as escavações, ou referenciados em todo o texto e imagens históricas.

Um museu austríaco possui o preservativo mais antigo do mundo, em exibição conjunta com outros quatro fragmentos de preservativos datados de 1.650, aproximadamente. Os exemplares foram encontrados em um banheiro do Castelo Dudley, na Inglaterra. Para ver a imagem sem a tarja, clique aqui.

Por que o corpo de Vladmir Lenin está perfeito?

Cientistas revelam métodos experimentais utilizados para embalsamar o líder soviético

Vladmir Lenin morreu há quase 90 anos, mas seu corpo parece melhor do que o dia em que ele partiu.

Esta é a afirmação feita por seus embalsamadores, que desenvolveram técnicas experimentais para manter a aparência do corpo do revolucionário comunista. Eles se gabam de que sua técnica tem sido o resultado de quase um século de processos que levaram à criação de uma ciência beneficiada com aplicações médicas do mundo real.

O trabalho é da responsabilidade de uma equipe conhecida como o “grupo Mausoléu”, que, no seu auge, contou com 200 cientistas trabalhando em um laboratório dedicado ao cadáver do ex-líder.

De acordo com um relatório detalhado por Jeremy Hsu, na revista Scientific American, os russos preferem preservar o corpo pela forma, peso, cor e flexibilidade, ao invés de tecido biológico.

Eles têm que substituir partes ocasionais de pele e carne com plásticos e outros materiais“, disse Alexei Yurchak, professor de antropologia social da Universidade da Califórnia, em Berkeley ao Sr. Hsu. “Isso faz com que seja muito diferente dos processos de mumificação, no passado”. Yurchak publicou um artigo sobre este projeto na revista Representations, juntamente com um livro, ‘Tudo ficou para sempre, até que não existisse mais: A Última Geração Soviética’.

O corpo do revolucionário está em exibição pública em um mausoléu na Praça Vermelha de Moscou, mais de duas décadas após a dissolução da ex-URSS.

Este ano, as autoridades russas fecharam a Praça Vermelha para que os cientistas pudessem preparar o corpo para exibição pública durante o 145º aniversário de Lenin.

A pele é estudada a cada semana usando instrumentos de precisão que podem medir a umidade, cor e contorno para procurar sinais de desidratação. De dois em dois anos, o corpo fica imerso em um banho de glicerol e acetato de potássio por 30 dias, uma técnica que os cientistas dizem poder fazer o corpo durar séculos.

O sangue de Lenin, assim como seus fluidos corporais e órgãos internos, foram removidos. As sobrancelhas, bigode e cavanhaque são os mesmos. Um material feito de parafina, glicerina e caroteno é utilizado para substituir a maior parte da pele de Lenin.

Algumas das técnicas tiveram aplicações médicas reais, de acordo com a Scientific American. Por exemplo, uma das técnicas inspirou uma tecnologia usada para manter o sangue se movendo através de rins de doadores durante o transplante.

Em 2012, a Rússia estava discutindo uma decisão histórica de enterrar o cadáver embalsamado do fundador da União Soviética. O ex-ministro da cultura, Vladimir Medinsky, disse que era “absurdo” que Lenin não tenha sido colocado para “descansar”, 88 anos após sua morte.

Putin tem adiado a decisão sobre o enterro, argumentando que Lenin continua sendo um ícone para muitos russos idosos e ainda é motivo de orgulho mantê-lo intacto.